segunda-feira, 12 de abril de 2010

De volta: Poesia de todo o mundo, não nos abandones.

Queridos leitores deste diário,

Depois de quase três anos sem nada publicado neste espaço, regresso hoje aos POETAS DO MUNDO. Na verdade nunca me afastei da poesia, apenas nada inseri. Foram várias as vicissitudes que levaram a que tal ocorresse, mas isso seria tema para outra conversa, que, por certo não seria tão interessante.
O objectivo inicial deste blogue consistiu em inserir, uma vez por dia, ao longo do tempo um texto de um Poeta. A determinada altura, por vários motivos, tal tarefa manifestou-se difícil. De qualquer modo, durante algum tempo o conceito foi cumprido. A partir daí procurei introduzir outros elementos no espaço e de modo mais diversificado: como a fotografia.
A partir de agora, outros textos em prosa, e outras artes vão ter lugar aqui, tornando o espaço mais abrangente e interdisciplinar. Pois, se é verdade que do ponto de vista formal só há uma forma de escrever Poesia - escrevendo Poemas - do ponto de vista substancial, a Poesia está em todo o lado: dentro de nós, em casa, na rua, em nossos amigos, nos desconhecidos, nas imagens da fotografia e do cinema, na música e na dança, nas imagens do teatro...
Poesia de todo o mundo: não nos abandones...não deixes que te abandone.

3 comentários:

SURAIA disse...

Oi, querido amigo d'além mar! Que prazer vê-lo novamente na net!
abração
Suraia

Luísa disse...

Aguardamos palavras sabiamente tratadas!
Sou nova seguidora no "poetas do mundo", e, tenho a certeza que vou apreciar este espaço!
Beijinho terno!

José A. disse...

Acho sumamente irritante não permitires comentários anónimos. Há lá coisa melhor do que ter um palerma qualquer a insultar-nos?